terça-feira, 31 de agosto de 2010

Carinha de Júlia!

Bem, não era só a Júlia que queria encontrar o papai Renato e a mamãe Iara e todo o povo! Aposto que todos também estavam doooidos pra conhecer a carinha dela!

Então com vocês, a Júlia, que não é virginiana como havia informado no post do seu nascimento e sim uma brilhante, ensolarada e linda leonina!

Festança!

A festança foi bonita e animada no Teatro Municipal de Guaxupé no dia 25 de agosto em comemoração ao aniversário de Elias José!Estiveram presentes 750 alunos do ensino infantil da rede municipal. Estavam lá, animados, representando todas as crianças da cidade e os queridos Amigos do Instituto!

Queremos agradecer as pacientes professoras, às Secretarias de Educação e Cultura e ao nosso querido Grupo Passarim, que encantou e emocionou a todos os presentes!

E lembrar, sempre, que uma turma muito especial faz do ICEJ uma realidade: aos Amigos do ICEJ, parabéns por tornar essa comemoração e todas as ações do Instituto, possíveis. Com certeza é um presente comemorado todos os meses pelo Elias lá de onde ele vê tudo.

Veja abaixo, a apresentação nas fotos de Vanessa Marques:

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Elias José é homenageado na 21º Bienal de São Paulo

Elias José foi homenageado na 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, com o lançamento conjunto de três livros: O Casamento de Monalisa e Aleijadinho, da editora Biruta, Alice no País da Poesia, da editora Peirópolis, e Forrobodó no Forró, da editora Mercuryo Jovem. A homenagem foi realizada no estande da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo e teve como palestrante convidada Susana Ramos Ventura, professora e pesquisadora da UNIFESP, especializada em literatura infanto-juvenil.


Na Bienal, Silvinha agradece a homenagem

Recém saído do forno, o grande lançamento da noite foi o livro Monalisa e Aleijadinho, pela editora Biruta, com ilustrações de Taísa Borges. O livro de prosa conta a história de amor de dois gatinhos e se serve do enredo para tocar questões de história da arte e da relação entre os universos infantil e adulto.


A obra Alice no País da Poesia foi lançada em 2009, pela editora Peirópolis, e foi escolhida como um dos 30 melhores livros infantis do ano pela revista Crescer. Também ilustrado por Taísa Borges, o livro traz poesias em homenagem a Lewis Carroll, autor do clássico Alice no País da Maravilhas. Os poemas brincam com o imaginário infantil, trazendo situações oníricas e de nonsense, tão recorrentes nas obras de Lewis Carroll e de Elias José.

Forrobodó no Forró foi a terceira obra tratada na homenagem a Elias José. Lançado pela Mercuryo Jovem, também em 2009, o livro foi ilustrado por Michelle Iacocca e tem forte acento no uso da musicalidade das palavras.

As três editoras que se uniram na homenagem ao escritor Elias José têm um perfil parecido. São editoras pequenas que nasceram com a proposta de publicar poucos títulos, mas que se propõem a caprichar nos livros que lançam. Quem adquirir qualquer dos três livros, à venda nas principais livrarias do Brasil, terá o prazer de constatar com os próprios olhos.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Hoje é dia de celebração!

Uma celebração com gosto de era uma vez.
Era uma vez um menino que de tanto imaginar tornou-se escritor. Mas a imaginação era tanta, tanta, que seus mais de 150 livros publicados não deram conta do recado. O menino cresceu contando e ouvindo histórias. Depois, com os livros prontos arregaçou as mangas e colocou pés e inspiração na estrada. Foi dar vida as tantas letrinhas juntadas nas páginas mágicas de suas histórias coloridas.

Hoje esse menino completa 74 anos! Há dois anos esse menino pegou uma estrada diferente da que trilhamos agora, mas nem por isso fez-se ausente. Por isso vamos comemorar seu nascimento sempre. Dar um jeito de participar da festa, isso é com ele. Mas danado de bom pra imaginar como Elias José imaginou, ele com certeza estará presente em todas as festas que fizerem em seu nome e em nome da literatura.

Então Elias, PARABÉNS e OBRIGADA por ter feito de sua estrada a nossa, OBRIGADA por continuar encantando esses viventes sedentos de sonho e esperança.

Para celebrar essa data tão feliz, o ICEJ estará realizando contação de histórias no Teatro Municipal. A primeira já aconteceu e foi realmente uma festa! Representando todas as crianças de Guaxupé, a Secretaria de Educação levará ao Teatro as turmas infantis da rede municipal de ensino.

O Instituto Cultural Elias José deseja a todos um feliz dia da imaginação!

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Notícias de um nascimento




Dia 22 de agosto é o dia do folclore!
É também o último dia do signo de leão, o signo mais solar que existe!
Dia 22 de agosto é também o dia antes do dia anterior ao dia que
antecede o aniversário de Elias José (que é no dia 25 de agosto,
caso não tenha ficado claro ;-)!

Mas agora falando sério, seríssimo, dia 22 de agosto foi o dia que
uma certa criança muito especial (como há de ser toda criança),
filha de Iara e Renato e neta de Silvinha e Elias resolveu que seria
um bom dia pra chegar na Terra e iluminar tudo!

A data teve inspiração no avô, que tem por ofício contar e recontar
histórias. Enquanto fazia companhia à pequena lá no céu, a espera do
grande dia, o avô colocava a neta numa perna e noutra fazia surgir
sacis pererês, uirapurus e onças falantes.
De tanto ouvir as lendas e, juntando com a proximidade do
aniversário do avô e com a vontade louca que estava de conhecer
as personagens da vida de Elias (a avó Silvinha, sua mãe Iara e os tios
Lívia e Érico) e seu papai, Renato, a pequena enfim resolveu
que esse seria um bom dia para nascer!
Afinal ela queria saber se Iara, sua mãe, era uma sereia de
canto encantador, que atraia pescadores para o fundo
dos rios do norte do Brasil...

E foi então que era uma vez numa cidade não muito longe de Guaxupé
nasceu uma pequena a quem deram o nome de Júlia e que, conta a
lenda, trazia do infinito do céu muitas trovas e poemas cochichados
por um contador de histórias inspirado e cheio de amor.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Três dias com a Escola Delfim Moreira

Nesta semana o ICEJ recebeu as três turmas matuninas do 5º ano da Escola Municipal Delfim Moreira. Cada uma num dia...

Na segunda, dia 16, recebemos a sala 1. Ficamos felizes com a presença de alunos tão interessados e conhecedores de literatura. Turma ativa, perguntadeira, participativa. Muito bom!Quem trouxe os alunos foi a professora Patrícia Ribeiro Bouças Buledi.


A turma era tão interessada nos livros que ninguém deixou de ler seu "escolhido", como não cabiam todos na biblioteca, tinha leitor espalhado por todos os lados...

Na terça, dia 17, foi a sala 2 com a professora Nádua Mussi Souza.


Turma de artistas, com certeza, porque até u
m sarau improvisado aconteceu!!!
Para fechar a semana de visitas, recebemos a turma da sala 03. Um grupo de pequenos leitores concentrados e como as outras turmas, bastante interessado.


Quem trouxe a turma foi a orientadora Norma Paula Felippe da Silva Matos e a estagiária Ana Carolyna Barbosa Ribeiro.



Todas as turmas ouviram a história de Nara, uma legítima gata da "Família Real Gatal"!

Mais uma Tereza conta suas Memórias...

Na última terça, dia 17 o ICEJ recebeu a Sra.Tereza Paschoa. Muitos guaxupeanos foram fotografados pelo pai de Tereza. Os dois juntos, comandavam a a foto Paschoa que durante muito tempo era a responsável em registrar as cerimônias de formatura de Guaxupé e região. Subvertendo o senso comum, Tereza é quem foi "coruja" do pai por quem demonstrou grande admiração.



Nos tempos da Associação Atlética de Guaxupé Tereza não perdia um baile, adorava dançar e até paquerava, mas namorado pegando no pé, ela dispensava!

Tereza tem uma grande ligação com a igreja católica onde é ministra de caristia há 20 anos. Sua família tinha uma ligação de amizade muito forte com Marcos Noronha a quem Tereza admirava muito.

Casa da Cultura expõe obras de Elias José



Em comemoração a semana de literatura que ocorreu entre os dias 10 e 14 de agosto, a Casa da Cultura de Guaxupé expôs o trabalho de 40 escritores guaxupeanos, entre eles Elias José (que estava muito bem acompanhado na prateleira ao lado pelo Sr.Moacyr Costa Ferreira.


O Instituto Cultural Elias José agradece a homenagem ao Elias José entre um grupo tão especial que são os autores guaxupeanos.


sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Escola Municipal em Jequié/BA faz homenagem a Elias José


Em Jequié, cidade baiana que já recebeu a visita de Elias José,a Escola Municipal Adolfo Ribeiro criou uma Sala de Leitura com o nome do autor.


"Uma Homenagem a Elias José

(...) Um livro tem asas longas e leves que,

de repente, levam a gente longe, longe.

( Elias José, in: Caixa Mágica de Surpresa)

Se um livro tem asas que levam a gente longe, longe... Imagine até onde podemos ir em uma Sala de Leitura.... Vários livros... A possibilidade de escolha do que ler... Um espaço exclusivo para inúmeras viagens... Nessas asas longas e leves, pretendemos afirmar o papel da escola como portal do gosto de ler, da formação de leitores críticos, sensíveis e de estímulo à pesquisa, à curiosidade a propósito da leitura: seu potencial onírico e dialógico, onde fantasia e realidade se unem em volta do sonho de ir além...

Nesse sentido, no dia 29 de julho de 2010, ocorreu a cerimônia de inauguração da Sala de Leitura Elias José, localizada na Escola Municipal Adolfo Ribeiro em Jequié-BA. Tal evento contou com a presença da comunidade em geral e de autoridades, a saber: Luiz Amaral, Prefeito de Jequié; Profª Mirian Oliveira Rotondano, Secretária de Educação; Profª Drª Maria Afonsina Ferreira Matos e Profª Ms. Edinalva Santos de Almeida, Coordenadoras do Centro de Estudos da Leitura/ UESB; Profª Drª Adriana Barbosa, vice-diretora do DCHL/UESB, Major - PM Carlos Elder Coelho, além de Diretores, Coordenadores e Professores de escolas municipais e estaduais.

Escolhemos Elias José, renomado escritor da literatura nacional, para intitular a referida sala, não só porque ele é um nome singular na Literatura Infanto-Juvenil, mas também porque o mesmo prestigiou a Escola Municipal Adolfo Ribeiro com uma visita cordial, em 23 de fevereiro de 2003. Tal acontecimento foi tão significativo que decidimos homenageá-lo nomeando a sala de Leitura Elias José. nomeando a nossa sala de Leitura Elias Jos uma visita em 20data foi

Durante a inauguração, os presentes se emocionaram visitando as salas temáticas organizadas por alunos e professores e ouvindo os estudantes falar das leituras que fizeram nos últimos tempos ou declamar poemas...

Assim, a Sala de Leitura Elias José tornou-se, hoje, um sonho realizado. A inauguração foi muito marcante para todos que estão envolvidos direta ou indiretamente com o projeto. Certamente, foi um lindo momento em torno de uma vontade: promover leitura, formar leitores...

Por: Andréia Souza Santos

- Estagiária do Projeto Hora de Leitura em Jequié

COORDENAÇÃO

PROFª. Esp. MIRIAN OLIVEIRA ROTONDANO

-Secretária de Educação de Jequié

PROFª. DRª. MARIA AFONSINA FERREIRA MATOS

PROFª. MS. EDNALVA SANTOS DE ALMEIDA

- Coordenadoras do Centro de Estudos da Leitura/ UESB

PROFª. Esp. MARA RUBIA SOUZA MACHADO

PROFª. Esp. MARILEIDE DA SILVA VIEIRA LIMA

- Coordenadoras do Projeto Hora de Leitura em Jequié

ANDREIA SOUZA SANTOS

OSCIMAR NOVAIS PEREIRA

- Estagiários"



A esposa do autor, Silvinha e os filhos Érico, Lívia e Iara, agradecem a homenagem com muita alegria!




quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Projeto Memória

Nesta semana, o ICEJ deu andamento ao Projeto Memória recebendo duas ilustres visitas:
Na terça, dia 10, recebemos Dna. Tereza Macedo. De seu depoimento, separamos um trecho muito romântico:

"A primeira vez que conversei com meu marido (Jorge Macedo) foi no cinema. Estava esperando um namorado da época quando fui surpreendida pelo Jorge me perguntando se poderia sentar-se no lugar ao meu lado. Diante de minha negativa, respondi que aquele era o lugar do meu namorado, Jorge não teve dúvidas, sentou-se e me avisou: 'então o lugar é meu porque eu sou seu namorado!'"

O atrevimento de Jorge foi o início de um casamento apaixonado de toda vida e que, ainda hoje, faz brilhar os olhos de Dna. Terezinha.

Formatura de D.Terezinha no Colégio de Normalistas
(ela está na primeira fila, a segunda da dir. para esq.)



De Marcos Noronha, Dna. Terezinha só tem admiração. No Colégio de Normalistas, foi aluna do jovem vigário e guarda como lembrança a foto de formatura em que Marcos Noronha foi paraninfo de sua turma.

....*....


No dia seguinte, 11/08, recebemos o Sr.Otto Villas Boas. Muito conhecido na cidade, Sr.Otto foi, durante 23 anos, gerente geral da COOXUPE. Começou despretenciosamente porque acreditava na proposta, tanto que nem queria cobrar pelo serviço no início, quando a COOXUPÉ ainda era uma cooperativa de crédito. Orgulhoso de seu trabalho, Sr.Otto disse que realizou um grande sonho trabalhando na maior cooperativa de café no mundo: oferecer para o maior número de pessoas, trabalho digno, dentro da lei e bem remunerado.

A relação com Dom Marcos, como ele se refere à Marcos Noronha, foi intensa, já que Seu Otto sempre envolveu-se com a igreja. Para ele, ter Dom Marcos como bispo foi uma grande alegria, algo que o emocionou profundamente, porém o fato da renúncia ao cargo não abalou a grande admiração que tinha por Dom Marcos. Para Sr.Otto, Dom Marcos era um homem diferente por sua cultura e visão de mundo tão lúcidas que as vezes era difícil entender, "as vezes a gente não estava preparado para aquilo...".